domingo, 27 de abril de 2014

Um Sonho Ou Realidade - Cap 37

Mais ou menos de duas semanas em duas semanas recebíamos um corvo enviado por Lord Hastings com os desenvolvimentos da batalha, mensagens curtas que não respondiam minimamente a todas as questões que tínhamos a colocar. 

Então uma manhã chegou um enviado com correspondência. Trazia uma carta para a Lady Catherine de Hastings, de Richard para Beth e surpreendentemente, uma para mim do James.


Querida Belle,

Peço que me desculpes por não ter escrito mais cedo, mas como podes imaginar, neste inferno onde estamos, mal tenho tempo de respirar. Hoje ganhamos mais uma batalha, mas esta guerra está longe de terminar, perdemos algumas centenas de homens do nosso lado. 

Apesar de termos a vantagem numérica, os rebeldes conseguiram reunir um exército de selvagens do outro lado do mar, dos desertos de Karmerak. Eles são menos que nós, possuem armaduras mais leves, o que faz deles mais rápidos e ágeis, mas basta-nos um golpe bem posicionado para os fazer cair, o que pode ser difícil, nunca devemos subestimar o inimigo.

Os dias aqui passam extremamente devagar, apesar de estarmos a sul de Stormhold, não sei se é pelo ambiente que aqui se vive, os dias e as noites são gelados. Estamos no bom caminho, mas ainda assim conseguimos sentir o medo no ar, o receio dos nossos companheiros e até mesmo nós, de não regressarmos da próxima batalha.

Sinto saudades de casa, sinto falta de ter a minha família reunida. Mais que tudo, sinto a tua falta, tenho saudades da tua companhia que tanto me animava. Sinto falta do teu sentido de humor, da tua calma, sinto falta do teu sorriso e de te ouvir rir, do teu cheiro que ficava a pairar na divisão durante horas, mesmo depois de já não lá estares. 

São essas as pequenas coisas, pequenas memórias que me permitem adormecer á noite e ultrapassar estes dias terríveis. Desejo do fundo do meu coração e com todas as minhas forças, que esta guerra acabe o mais brevemente possível para puder voltar para casa, voltar para perto de ti, eu sei o que sinto, e sei perfeitamente o que quero…sei o que te quero dizer, mas vou guardá-lo para de dizer pessoalmente.


P.S. Espero que me escrevas brevemente.

Com amor, para sempre teu,

James


Aquela carta tinha sido um alento para mim. Tinha lido as suas palavras vezes e vezes sem conta. Tinha de admitir, sentia realmente a sua falta, agora que não o tinha junto a mim. Antes do mensageiro partir, escrevi uma carta para ele levar de volta ao James:


Querido James,

A vossa ausência faz-se sentir mais a cada dia que passa. A Lady Catherine é realmente uma grande senhora, mantém sempre a compostura apesar do seu olhar angustiado, ao contrário da Beth, que está inconsolável e teme pela vida de Richard. 

As crianças, bem, estão cientes das consequências desta guerra, mas nós tentamos ocupar as suas mentes com outras coisas se não pensamentos infelizes, têm-se comportado e o Thomas, apesar da tenra idade, tem mostrado grande maturidade e dedicação na sua função como Lord de Stormhold, com todo o carinho e apoio, tanto da família como do povo.

Quando a mim…sinto que me falta algo, sinto-me como se parte de mim não estivesse realmente comigo, e não está.

Também sinto muito a tua falta, sinto falta da tua presença, do teu olhar sobre mim, quando pensas que eu não sei que me observas. Não te quero envergonhar, por isso, também tenho saudades da excitação e do nervosismo que me causas quando estás por perto. Sinto a falta da tua companhia, sinto falta do teu olhar, do teu cabelo, que sabes que adoro, e do teu sorriso quando te ris das minhas piadas.

Nós todos, por aqui sentimos uma mudança no ar, está mais frio a cada dia que passa, e eu gostava de pensar que não é sinal de maus presságios, gostava de acreditar nisso. Como toda a gente, tenho receio, todos os dias de receber alguma notícia que acabe com o meu coração, por isso tento simplesmente pensar em coisas boas, nos bons momentos que passamos juntos, mas há dias mais fáceis que outros.

Por tudo isso, espero que todos vocês voltem para casa o mais depressa possível. Quero que voltes…para mim, e como tu disseste, eu também sei o que quero. Volta depressa, quero muito ouvir o que tens para me dizer, e igualmente dar-te uma resposta.

Com amor, para sempre tua,

Belle


Parecia mentira, mas fazia já seis meses desde que os nossos tinham partido para a maldita guerra. Não sabia se achasse muito ou pouco tempo. Por um lado, no contexto geral, tinha passado rápido, mas analisando a angústia de cada dia, esses sim, pareciam ter passado dolorosamente devagar.

Num dessas angustiantes noites, estava a tentar dormir, mas sentia uma certa inquietação e aquela noite era mais gelada que nunca. Quando finalmente consegui adormecer, o Shadow levanta-se na cama e corre porta fora, eu ouço os cascos de um cavalo na rua. Noticias a uma hora daquelas, não podia ser coisa boa.

Vesti o meu manto por cima da camisa de noite e desci até ao salão. O que vi fez-me ficar com um aperto no peito. Lady Catherine, que mantinha sempre a compostura, estava agarrada a Beth, a chorar desalmadamente. Ela olhou para mim e eu soube que algo terrível tinha acontecido.

2 comentários:

  1. Isto não se faz :) ficamos sempre a roer as unhas kkkkk... nao demores a publicar o próximo capitulo pois estou ansiosa por saber o que se passou... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que se faz kkkkk para manter o interesse. Beijinho =D

      Eliminar